67 3028 9000

+ TELEFONES

Notícias

NOTÍCIAS DO AGRONEGÓCIO: PECUARISTAS TÊM ATÉ 15 DE NOVEMBRO PARA VACINAR REBANHO CONTRA A FEBRE AFTOSA

26 de setembro de 2018 | Notícias

A Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária do Amapá (Diagro) lançou a Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa. O lançamento aconteceu numa fazenda na Rodovia Duca Serra, zona oeste de Macapá, com a presença de autoridades ligadas à pecuária e fiscais da Diagro. A campanha segue até o dia 15 de novembro.

De acordo com o diretor-presidente da Diagro, José Renato Ribeiro, o órgão prevê atingir 96% do rebanho amapaense, ou aproximadamente 360 mil animais entre bubalinos e bovinos. “Mostramos que isso é possível, pelos resultados apresentados nos anos anteriores, permitindo que alcançássemos a certificação nacional e internacional de livre de aftosa com vacinação”, lembrou.

A vacinação pode ser feita pelo próprio pecuarista. Porém, ele deve procurar um escritório da Diagro até o dia 25 de novembro para fazer a declaração de que fez a vacinação dos animais. O pecuarista que deixar de prestar as informações de que vacinou o seu rebanho pode sofrer multa, que é estabelecida de acordo com a quantidade de animais, além de ser proibido de transitar com os animais não vacinados.

José Renato ressaltou que a meta do Estado é atingir o estágio de livre da febre aftosa sem vacinação. Para isso, será feito o acompanhamento periódico do rebanho, como também, através da coleta de amostra de sangue dos animais. “Como não há a circulação do vírus no Amapá, isso nos dá segurança para, em breve, retirar a vacinação e iniciar um processo de monitoramento do rebanho amapaense”, explicou o diretor-presidente da Diagro.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Rural, Robério Nobre, reforça que a pecuária possui grande potencial econômico para o estado, mas é importante que não se perca o foco, principalmente com relação à sanidade animal e qualidade do rebanho. “Esse é mais um passo de um processo iniciado em 2015, que objetivou o fortalecimento deste setor que, consideramos importantíssimo, para a economia amapaense”, destaca.

Fonte: GS Notícias

Você gostou? Compartilhar nas redes sociais.