67 3028 9000

+ TELEFONES

Notícias

Guia de Raças: Puro Sangue Lusitano (PSL)

6 de julho de 2021 | Pecuária Forte

História

O Cavalo Lusitano é um dos três puro-sangue conhecidos, os outros dois são o Puro-sangue Árabe e o Puro-sangue Inglês. Acredita-se que a raça Puro-sangue Lusitana se originou dos lendários cavalos da Península Ibérica, recebendo algum toque dos cavalos Puro-sangue Árabe, assim como dos espécimes da região norte da África. Esse animal é resultante de uma seleção de milhares de anos, algo que o torna especial, pois permitiu que estabelecesse uma simpatia única para com o ser humano.

No Brasil

Os primeiros Cavalos Lusitanos que chegaram ao Brasil foram trazidos pelos colonizadores portugueses por volta do ano 1541. Eram mestiços de Garranos e Pôneis galegos trazidos do norte de Portugal e dos Sorraias do Sul. Em 1808, o cavalo Lusitano volta ao Brasil, com a chegada dos tradicionais cavalos selecionados na Real Coudelaria de Alter. Foram trazidos pelo Príncipe Regente D. João VI e pela Família Real, que se transferiram para o Brasil devido às invasões Napoleônicas na Península Ibérica. Em 1821, D. João VI presenteou Gabriel Francisco Junqueira, o Barão de Alfenas, com o garanhão Sublime, que passou a ser usado juntamente com outros reprodutores Lusitanos no cruzamento com éguas “crioulas”, originando-se destes cruzamentos a base das raças Mangalarga e Campolina, selecionadas no sul de Minas Gerais, mais precisamente na região de Campanha. Com a independência do Brasil e sua separação de Portugal, a criação de cavalo Lusitano foi novamente interrompida. Porém, em 1976, após um acordo para preservar o patrimônio genético e dar continuidade a criação do PSL, Toni Pereira, Enio Monte, Asdrúbal do Nascimento Queiroz, Abel Pinho Maia Sobrinho, João Alfredo de Castilho e José Pinho Maia importaram tudo o que cabia de cavalos num avião cargueiro fretado. Assim, chegou ao Brasil, pela empresa Entre Rios, os animais da Raça Lusitana da mais alta categoria, da Caudelaria Nacional. Atualmente o Brasil é reconhecido como o maior exportador de Lusitanos para a América do Norte e vem crescendo as exportações também para a Europa, inclusive para Portugal. Com 350 criadores e um plantel atual de aproximadamente 12 mil animais, a maior concentração está no estado de São Paulo, porém, o Lusitano vem registrando expansão para outras regiões do País, fazendo-se notório nas competições hípicas, especialmente no Adestramento e na Equitação de Trabalho onde, aliás, é o atual Campeão Mundial da modalidade (Fonte: Associação Brasileira de Criadores de Puro Sangue Lusitano – ABCPSL )
lusitano horse runs free in the field

Características da raça

O Puro-sangue Lusitano, pesa em torno de 500 kg, bem distribuídos em formas arredondadas. Os machos apresentam, em média, 1,60 m. enquanto as fêmeas medem cerca de 1,55 m. A cabeça de tamanho médio apresenta boa proporção em relação ao seu corpo forte e de formas arredondadas. O perfil da cabeça do PSL é levemente subconvexo e possui a parte frontal com leve abaulamento. Os olhos são bastante vivos e destacados. O comprimento das orelhas é médio e relativamente delgadas. É um animal bastante musculoso, com peito é profundo e de amplitude média. A garupa levemente arredondada e com boa proporcionalidade. Apresenta andadura ágil e levemente projetados para frente, oferecendo conforto e segurança para o cavaleiro.

Aptidão

É um animal versátil, o PSL é forte e dócil, tonando-se excelente mão-de-obra animal. Apresenta temperamento submisso ao cavaleiro, sendo um dos melhores companheiros para competições esportivas. Também se destaca pela bela aparência e elegância. Os criadores dificilmente têm problemas em relação ao comportamento desses cavalos. É um animal que se adapta facilmente, podendo ser criado no campo e tem boa saúde. Os criadores do PSL normalmente se tornam entusiastas da raça, pois é um animal dócil, fácil de se ensinar e que pode ser utilizado tanto para provas quanto no serviço.

Você gostou? Compartilhar nas redes sociais.

WhatsApp Fale Conosco