67 3028 9000

+ TELEFONES

RELATO DE CASOS DE OTITE POR MALASSÉZIA TRATADOS COM COMPLEXO HOMEOPÁTICO – CBA 2012

RELATO DE CASOS DE OTITE POR MALASSÉZIA TRATADOS COM COMPLEXO HOMEOPÁTICO

PATRÍCIA MARTINS DE REZENDE1, PROF. DR. CLAUDIO MARTINS REAL2

1 Médica Veterinária – patrí[email protected],

2 Professor Emérito da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Resumo

O Malassézia é um fungo leveduriforme integrante habitual da microbiota do meato acústico externo e da pele de cães e gatos. Este fungo causa patologias quando ocorre queda de imunidade, alteração de temperatura e aumento de umidade no local. Os tratamentos utilizados são o emprego de antifúngicos. Este trabalho apresenta a Homeopatia como opção de tratamento relatando dois casos clínicos de otite causados pelo Malassézia tratados com complexos homeopáticos.

Palavra chave: Homeopatia, Malassézia, Otite, Fungo

INTRODUÇÃO

O gênero Malassezia compreende fungos leveduriformes lipofílicos e lipodependentes que recentemente teve a introdução de quatro novas espécies além das anteriormente descritas M. furfur, M. pachydermatis e M. sympodialis. (Maraschin et al., 2008). O Malassezia pertencente à microbiota normal do meato acústico externo e pele de cães e gatos, podendo ser encontrado no reto, espaço interdigital, glândulas perianais e vagina. É um patógeno oportunista. Quando ocorrem modificações no microambiente do substrato local por queda da imunidade por alterações na umidade e temperatura. Criam-se então condições para a proliferação do Malassézia que deixa de ser um simples comensal e torna-se um patógeno (Nobre et al., 1998).

A identificação do Malassezia é feita pela citologia por impressão em lâmina ou o uso de fita adesiva. A detecção e o isolamento do fungo são por meio de observação microscópica direta do material suspeito, por cultura do agente em meios especiais ou exame histopatológico de pele. (White, 1992)

Os tratamentos podem ser tópicos ou sistêmicos, dependendo da gravidade. No tratamento sistêmico são utilizadas drogas antifúngicas como o Cetoconazol administrado com o alimento. O tratamento tópico é feita com de xampus de Cetoconazol e Miconazol e o uso de ceratolíticos (Moço et al., 2007).

O uso da Homeopatia é mais uma alternativa de tratamento para as afecções causadas pelo Malassézia. Criada no final do século XVIII pelo médico alemão Samuel Hahnemann (1975-1834), a Homeopatia se baseia na lei dos semelhantes, “Similia similibus curantur”. Lei natural de cura, já registrada nos Aforismas de Hipócrates 400 a.C.. A aplicação desta lei consiste em tratar as doenças com medicamentos diluídos e dinamizados que experimentados no homem são causam sintomas semelhantes aos do paciente a ser tratado. Os medicamentos homeopáticos agem estimulando o organismo a combater os agentes agressores promovendo assim a cura (Real 2008). Nos casos descritos foram utilizados dois complexos homeopáticos o 1HomeoPet Strong® que é recomendado para o estimulo da imunidade e melhorar o estado geral dos animais e o 2HomeoPet Pró-Derma® que age nas Dermatoses e as Dermatites complicadas por fungos em cães e gatos.

RELATO DE CASOS

Caso I: canino, labrador, fêmea, 5 anos. Em 23/09/11 animal com otite apresentando secreção enegrecida nos ouvidos, pouco prurido, muita dor local, queda de pêlo por todo o corpo, emagrecimento e lesões na extremidade das orelhas. Já apresentou outras crises de otite. A ultima há 30 dias, nesta ocasião no hospital da 3UNIDERP foi diagnosticado que a causa era o Malassézia, sendo então tratado com Enrofloxacina e Meloxican via oral e 4Otogen local. Nesta nova crise recomendou-se o uso do HomeoPet Strong® e o HomeoPet Pró-Derma® ambos 3 borrifadas 3 vezes ao dia via oral, limpar o ouvido a seco e borrifar o Pró-Derma 02 vezes ao dia. Em 30/09/11(sete dias) o animal foi reavaliado a queda de pêlo diminuiu, voltou o apetite e a lesão de ponta de orelha cicatrizou. As secreções diminuíram e a pele que antes era espessada e escura normalizou. Continuou-se o Strong® e o Pró- Derma® por mais 30 dias, quando reavaliado constatou-se a cura do cão.

_______________________________________________________________

HomeoPet Strong®: Medicamento homeopático fabricado pelo Laboratório Homeopático Veterinário Real & Cia Ltda. Cadastrado no MAPA nº 073-2009/MS

2HomeoPet Pró-Derma®: Medicamento homeopático fabricado pelo Laboratório Homeopático Veterinário Real & Cia Ltda. Cadastrado no MAPA nº 010-2011/MS

3 Universidade Anhanguera UNIDERP – Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal

4Otogen – Gentamicina; Betametasona e Miconazol – Laboratório Ouro Fino

Caso II: canino, Lhasa Apso, macho, 8 meses. 17/03/11. O animal coçava muito as orelhas e o corpo. No exame clinico observou-se que a face interna das orelhas estava com pele espessada, com as extremidades feridas, lesões pelo corpo, cotovelos e mau cheiro. No exame laboratorial realizado foi diagnosticado Malassézia. Recomendou-se o uso de Pró-Derma® 01 borrifada 03 vezes ao dia e borrifar o Pró-Derma® direto no ouvido após sua limpeza 02 vezes ao dia. Em 28/03/11 (11 dias) as lesões no corpo melhoraram o mau cheiro diminuiu e a otite controlada, mas ainda se coçava. Recomendou-se continuar com o Pró-Derma®. Sete dias após (04/04/11) os cotovelos quase sem lesões e as orelha cicatrizadas. Ainda se coçava. Em 21/04/11 com o desaparecimento dos sinais o tratamento foi suspenso.

DISCUSSÃO E CONCLUSÃO

Analisando os resultados destes dois casos de otite por Malassézia, verifica-se que o tratamento utilizado no caso I antes do uso da Homeopatia foi ineficaz, uma vez que terminado ocorreu retorno de toda a sintomatologia. Ao contrario do tratamento homeopático, pois em sete dias de utilização os sintomas melhoram e a cura ocorreu após 30 dias. Não havendo recidivas. No segundo caso que era mais grave, pois além da otite existiam lesões pelo corpo, em 34 dias de tratamento com homeopatia ocorreu à recuperação total.

REFERÊNCIAS

MARASCHIN, M. M.; SPADER, T.; MARIO, D. A. N.; ROSSATO, L.; LOPES, P. G. M. Infecções Causadas Por Malassezia: Novas Abordagens. Saúde, Santa Maria, vol. 34a, n 1-2: p 4-8, 2008

NOBRE, M.; MEIRELES, M.; GASPAR, L.F.; PEREIRA, D.; SCHARAMM, R.; SCHUCH, L.F.; SOUZA, L.; SOUZA L. Malasszia Pachydermatis e Outros Agentes Infecciosos Nas Otites Externas e Dermatites de Cães. Revista Ciência Rural, Santa Maria, v 28, n. 3, p. 447-452, 1998

WHITE, S.D. Otitis externa. Walt. Int. Focus, v.2, p.2-9, 1992

MOÇO, H. F.; DIAS, L. C.; RAYA, D. A.; WALTENPUHL, M. G. Dermatite por Malassezia. In: ——- X Simpósio de Ciências Aplicadas da Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal (FAEF), Garça: Editora FAEF, pg. 241 a 243, 2007.

REAL C.M. 2008. Homeopatia Populacional – Fundamentos Ruptura de um Paradigma. A Hora Veterinária – Ano 28, nº 164.

 

Você gostou? Compartilhar nas redes sociais.